Skip to content

Paulistano pagará IPTU 2017 mais caro, afirma novo prefeito

10 de outubro de 2016

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou atrás sobre uma declaração que havia dado na segunda-feira (3), a respeito do aumento de impostos na cidade. Na ocasião, ele disse que congelaria a passagem de ônibus e os tributos municipais em 2017.

— Vamos falar de maneira clara: com taxas e impostos em 2017, [não haverá] nenhuma mudança, provavelmente depois também. Mas vamos ser claros: eu tenho responsabilidade, e a minha responsabilidade me dá o direito e a oportunidade de afirmar quem em 2017 não teremos nenhum aumento de impostos ou de taxas e nenhum aumento de tarifas. Ao longo do ano vamos verificando e conversando, mas minha índole não é para criação de impostos.

Porém, questionado pelo R7 nesta quarta-feira (5), o tucano disse que o IPTU terá que ser corrigido pela inflação, o que, na prática, significa um aumento no valor a ser pago pelos paulistanos no começo do ano que vem.

— Quando eu me referi [aos impostos], eu falei claramente que não haveria aumento. E não vai haver aumento. Aumento é aumento real [acima da inflação].

Ele classificou como “um entendimento equivocado” a promessa de que o IPTU ficaria congelado.

— A tarifa de ônibus, essa não será mexida nem mesmo na correção inflacionária. Ela será mantida até o final de 2017. Os impostos, o prefeito não pode deixar de fazer a correção, isso é lei. A correção inflacionária tem que ser feita. Não vai haver aumento de impostos, nem aumento de taxas, nem novos impostos, nem novas taxas.

A correção ao qual Doria se refere é o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que deverá fechar 2016 em 7,23%, de acordo com o último Boletim Focus, do Banco Central. O Orçamento 2017 enviado pelo prefeito Fernando Haddad à Câmara Municipal já prevê esse reajuste de IPTU, que deverá totalizar R$ 8,18 bilhões em arrecadação no próximo ano.

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico explicou que “os normativos que tratam das receitas tributárias são esparsos no ordenamento jurídico, sobressaindo-se, além dos mandamentos constitucionais, o Código Tributário Nacional, a Lei de Responsabilidade Fiscal e as leis do município de São Paulo específicas de cada tributo”.

De acordo com a pasta, a Lei de Responsabilidade Fiscal obriga o gestor público a promover a arrecadação de todos os tributos de sua competência, bem como atender aos requisitos legais para a efetivação de renúncia fiscal. O Código Tributário diz que a atualização monetária da base de cálculo do IPTU, limitado ao percentual relativo à inflação, não é considerado aumento de tributo.

Já no âmbito municipal, a Lei n° 11.152 prevê que a prefeitura pode atualizar, anualmente, os valores do metro quadrado de construção desde que a atualização não supere a inflação do período.

Questionada se o prefeito pode congelar o tributo caso queira, a secretaria concluiu, em nota: “Considerando a legislação acima exposta, o congelamento nominal do valor do tributo poderá ser questionado juridicamente, uma vez que na prática significará renúncia de receita ordinária prevista na LDO e na proposta orçamentária para o exercício seguinte. Vale lembrar que, para a atualização da base de cálculo do IPTU vigorar em determinado ano, é necessário que o ato normativo que o institui seja editado em ano anterior, por força do princípio da anterioridade”.

É importante saber que neste ano, o imposto foi reajustado em 9,5%, abaixo da inflação (10,67%, em 2015). Na gestão de Gilberto Kassab, o imposto também chegou a ser corrigido em patamar inferior ao IPCA.

O Orçamento de Haddad para 2017 prevê arrecadação de R$ 24,98 bilhões com tributos. Um terço disso é oriundo do IPTU.

Tarifa de ônibus

Essa não é a primeira contradição do prefeito eleito. Durante a campanha, ele falou em mais de uma ocasião que manteria a tarifa de ônibus congelada em R$ 3,80 nos quatro anos de mandato. Mas na última segunda-feira, o discurso mudou.

— Cada dia com a sua agonia. Vamos falar do primeiro ano. No primeiro ano, nenhuma mudança. Eu preciso estar vivo também, vamos devagar. Não posso responder por quatro anos. Posso responder por este primeiro ano.

Uma vez que mantém a tarifa de ônibus congelada, a prefeitura é obrigada a aumentar os subsídios para as empresas, já que os custos da operação crescem. São Paulo aguarda há mais de um ano e meio pela nova licitação do transporte público. Os novos contratos deverão impor uma margem de lucro menor para as concessionárias, algo que poderá baixar o custo final do serviço ao município.

A prefeitura prevê repassar subsídios de R$ 1,8 bilhão às empresas de ônibus no ano que vem. No entanto, a atual gestão não descartava um eventual aumento da tarifa.

From → Notícias

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: